(11)97394-2261 | 2538-0384 | 3253-5622

Lombalgia

Lombalgia / Lombar - Informações

Lombalgia

O que é lombalgia?

A coluna é dividida em regiões cervical, dorsal, lombar, sacral e coccígea e lombalgia é o nome dado às dores referidas na região lombar, podendo irradiar-se para as pernas. É um dos sintomas mais comuns relacionados à coluna e a chance de um indivíduo apresentar essa queixa durante sua vida varia de 60 a 90%. Sua incidência anual é de 5%. É responsável por aproximadamente 15% dos afastamentos do trabalho e representa a principal causa de incapacidade para pessoas abaixo dos 45 anos de idade.

Quais as causas de lombalgia?

Várias doenças podem causar dor nas costas e dependendo do quadro pode ser apenas um mal jeito ou até mesmo alterações mais graves como compressões de estruturas nervosas (como hérnias de disco, estreitamentos por artrose ou bicos de papagaio, fraturas ou tumores). Apenas 1% dos casos apresenta sintomas da compressão da raiz nervosa, e 1 a 3% são diagnosticados com hérnia de disco. Cerca de 85% dos casos de lombalgia nenhum diagnóstico específico pode ser realizado.

Como fazer o diagnóstico?

O paciente deve ser avaliado o mais rápido possível para que seja feito o diagnóstico. Para que isso aconteça, devem ser feitas avaliações clínicas (durante a consulta) e radiológicas. São sinais de alerta: retenção ou incontinência urinária e/ou fecal, anestesia na região dos órgãos genitais, perda de força nas pernas, indivíduos com história de trauma agudo recente ou câncer, perda de peso progressiva sem causa aparente, imunossupressão e usuário de drogas ilícitas ou corticoides.

É muito importante identificar se a dor é crônica ou aguda. Dores crônicas ultrapassam três semanas, podendo variar a intensidade. Dores agudas não duram mais do que três semanas, mas a dor é de alta intensidade, o atendimento deve ser imediato. Ambos os casos precisam da avaliação de um profissional para saber se é preciso uma investigação mais específica ou se remédios e repouso bastam. Lombalgia é coisa séria,  um à cada três afastamentos por invalidez é por causa de dores na lombar.

LombalgiaComo tratar?

Somente com a realização do diagnóstico correto é que se consegue propor o tratamento mais adequado, tendo em vista a diversidade de causas possíveis. Algumas dessas causas podem ser progressivas e o quadro se agravar com o decorrer do tempo, levando até mesmo a formigamentos e perda de força que, em casos extremos, pode ser irreversível. No geral inicia-se por tratamento conservador com repouso e medicação nos primeiros dias após uma crise aguda de lombalgia, seguindo-se de uma associação de algumas terapias: fisioterapia, acupuntura, RPG (Readaptação Postural Global), hidroginástica, pilates. Cirurgias estão indicadas em casos com alterações neurológicas importantes ou no caso de falência do tratamento conservador, após 1 a 2 meses. Cerca de 85% dos pacientes com hérnia de disco melhoram com o tratamento conservador após 6 semanas. Fatores psicológicos (depressão, ansiedade, fobias) podem perpetuar e/ou amplificar as dores, necessitando também de atenção e às vezes encaminhamento para acompanhamento de médico especialista.

Quais cirurgias podem ser necessárias?

Depende também do diagnóstico, do tempo de evolução e de algumas características dos exames de imagem. Podem ser desde simples bloqueios ou rizotomias para tratamento da dor (procedimentos minimamente invasivos), discectomias, descompressões que podem necessitar de artrodese (fixação) e até mesmo ressecções amplas e tratamentos complementares (radioterapia e/ou quimioterapia) em casos de tumor. Outros procedimentos minimamente invasivos possíveis mas com indicações precisas são: discectomia a laser, discectomia endoscópica, quimionucleólise e IDET (Intradiscal Endothermal Therapy).

 

 

 

Marque uma consulta
Entre em contato conosco, conheça nossa clínica e nossa equipe.