(11)97394-2261 | 2538-0384 | 3253-5622

Aneurisma Cerebral

Aneurisma Cerebral - Informações

Aneurisma Cerebral - Doença

Aneurisma Cerebral, o que é?

São malformações na parede de artérias cerebrais que podem permitir com que a própria pressão da corrente sanguínea vá abaulando a parede do vaso, até se tornar uma estrutura sacular que se assemelha a uma bexiga (o que chamamos de “aneurisma”), facilitando uma ruptura espontânea e  sangramento no cérebro.  Podem em alguns casos estar relacionados com trauma ou infecção. Acometem cerca de 5% da população, sendo que aproximadamente metade não sangram durante toda a vida (“incidentais”).

É uma doença muito grave?

Sim. Dos pacientes que sangram, cerca de 10 a 15% morrem antes de conseguir atendimento médico. A taxa de mortalidade é em torno de 45%. Aproximadamente 15 a 20% apresentarão um novo sangramento até a segunda semana. Uma das complicações frequentes que estão relacionadas ao sangramento é o “vasoespasmo cerebral”, ou seja, a diminuição do suprimento sanguíneo a algumas regiões cerebrais, sendo causa de 7% dos óbitos e mais 7% de sequelas neurológicas. De todos os sobreviventes, 30% evoluem com algum grau de alteração neurológica e 66% dos tratados com cirurgia ainda apresentarão limitações em sua qualidade de vida.

Como se faz o diagnóstico?

aneurismas-doencas-2Os aneurismas em geral são pequenos em tamanho (geralmente milímetros) e dificilmente se diagnostica antes que se rompam. Somente aneurismas muito grandes acabam comprimindo estruturas do cérebro e se tornando sintomáticos antes de sua ruptura. A história típica de ruptura de aneurisma cerebral consiste de uma sensação de dor de cabeça súbita, muita intensa, como jamais sentira antes, e que pode estar associado com náuseas, vômitos ou até mesmo convulsões, ou diminuição do nível de consciência. São necessários exames específicos para se tentar diagnosticá-los.

Como podem ser tratados?

As formas de tratamento são isolamento do aneurisma por cirurgia (“clipagem”) ou por via endovascular (cateterismo). Há muita discussão na literatura médica sobre qual o melhor método, porém ambos tem suas indicações/contra-indicações, trazem bons resultados e apresentam seus riscos. Quando sangram, a tendência é de se tratar o mais rápido possível, e quando são incidentais o tempo necessário a se tratar também é contro-verso.

Mesmo após o tratamento, podem aparecer novos aneurismas?

Sim. Na verdade 15 a 35% dos indivíduos com sangramento sugestivo de aneurisma podem já apresentar múltiplas lesões no momento de suas avaliações. Após o tratamento, fatores como hipertensão arterial descontrolada, tabagismo, gravidez, uso de anticonceptivo oral, uso de cocaína podem aumentar o risco do aparecimento de novos aneurismas.

Tratamento Cirúrgico de Aneurismas e Malformações Vasculares

São cirurgias que geralmente necessitam de craniotomia. Precisão e delicadeza são fundamentais para separar a lesão vascular do cérebro normal e dos vasos normais. Para isso se utiliza estrutura de última geração como microscópios neurocirúrgicos potentes. Muitas vezes técnicas de Neuronavegação por computador são utilizadas para aumentar a precisão da retirada de lesões como Cavernomas e diminuir a chance de lesão às áreas nobres do cérebro, que poderiam deixar sequelas irreversíveis no paciente.

AGENDE UMA CONSULTA